Acidente mata 30 turistas russos em Israel

Motorista perdeu controle do ônibus durante ultrapassagem; passageiros eram agentes de turismo

Reuters e Associated Press, Eilat, Israel, O Estadao de S.Paulo

17 de dezembro de 2008 | 00h00

Pelo menos 30 turistas russos morreram e dezenas ficaram feridos ontem, quando o ônibus em que viajavam saiu da pista e despencou num barranco na estrada que leva ao balneário de Eilat, na costa do Mar Vermelho. Este foi o acidente mais grave dos últimos anos em Israel.Segundo testemunhas, o motorista do ônibus tentou ultrapassar outro veículo numa curva perigosa, quando perdeu o controle e saiu da pista.O ônibus rolou diversas vezes pelo barranco deixando atrás de si um rastro de corpos, bagagens e destroços. "A maioria dos mortos e feridos foi jogada para fora do ônibus enquanto ele rolava", disse o médico Gabi Baribo. "Alguns passageiros se salvaram porque estavam presos em seus assentos", contou um dos militares que participou da operação de resgate.O grupo de passageiros - formado por agentes de turismo de cinco empresas russas que viajavam a Israel para conhecer roteiros turísticos - tinha desembarcado minutos antes no aeroporto de Ovda, vindo de São Petersburgo, na Rússia.RESGATEA Força Aérea israelense enviou seis helicópteros para o local do acidente e pelo menos 40 ambulâncias foram usadas no resgate. Alguns dos feridos foram levados para hospitais em Beersheba, enquanto outros foram para Eilat, onde médicos que participavam de um congresso tiveram de ser chamados às pressas para reforçar as equipes de atendimento.O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, que participa de uma visita oficial a Londres, "expressou choque pelo horrendo acidente e pelo elevado número de pessoas mortas e feridas". Ele também enviou seus pêsames às famílias das vítimas.O governo da Rússia estabeleceu um gabinete de crise para lidar com o acidente. Os diplomatas que trabalham em Israel foram instruídos pelo presidente russo, Dmitri Medvedev, a prestar apoio aos sobreviventes. Dois aviões deveriam decolar ontem à noite de Moscou levando médicos e psicólogos a Israel. Uma das aeronaves faria uma escala em São Petersburgo, onde parentes dos passageiros embarcariam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.