IRIB TV / AFP
IRIB TV / AFP

Acidente naval da Marinha do Irã deixa mortos e feridos

O incidente ocorreu durante o treinamento no Golfo de Omã, uma hidrovia sensível que se conecta ao Estreito de Ormuz, por onde passa um quinto do petróleo mundial

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2020 | 05h29

Um navio de guerra iraniano atingiu acidentalmente outro navio com um míssil durante um exercício, matando 19 marinheiros e ferindo outros 15, informou a marinha iraniana nesta segunda-feira, 11.

O incidente ocorreu durante o treinamento no Golfo de Omã, uma hidrovia sensível que se conecta ao Estreito de Ormuz, por onde passa um quinto do petróleo mundial. O Irã realiza regularmente exercícios na área.

A fragata Jamaran disparou contra um alvo de treinamento lançado por um navio de apoio, o Konarak. No entanto, o navio de apoio ficou muito perto do alvo e foi atingido, disse a emissora estatal IRIB.

"O incidente ocorreu no perímetro do porto de Bandar-e Jask, no sul do Irã, no Golfo de Omã, durante exercícios da Marinha iraniana no domingo à tarde, em que 19 marinheiros foram mortos e 15 outros ficaram feridos", disse a TV estatal, citando a marinha.

A agência de notícias Fars citou um oficial militar não identificado como negando algumas notícias da mídia iraniana de que o Konarak havia afundado.

O comunicado da Marinha disse que estão sendo realizadas investigações sobre a causa do incidente, informou a agência de notícias estudantil ISNA.

O IRIB disse que o navio Konarak, fabricado na Holanda, comprado antes da revolução islâmica do Irã em 1979, foi revisado em 2018 e está equipado com quatro mísseis de cruzeiro.

O incidente ocorreu em um momento de tensões aumentadas entre o Irã e os Estados Unidos desde 2018, quando os americanos se retiraram de um acordo nuclear entre as principais potências e o Irã, e Washington reimprimiu as sanções contra Teerã.

A animosidade se intensificou no início de janeiro, quando um ataque aéreo dos EUA em Bagdá matou o principal comandante militar iraniano Qassim Suleimani. O Irã retaliou em 9 de janeiro disparando mísseis contra bases militares dos EUA no Iraque. Mais tarde naquele dia, as forças armadas do Irã derrubaram um avião ucraniano, matando todas as 176 pessoas a bordo, no que os militares reconheceram mais tarde como um erro. / Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Irã [Ásia]acidente marítimo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.