Acidentes matam 830 mil crianças por ano, diz OMS

Acidentes de carro, afogamentos e outros incidentes matam 830 mil crianças por ano no mundo todo, um número surpreendentemente grande que marca o crescimento de um problema normalmente ignorado, disse a Organização Mundial de Saúde na quarta-feira. O relatório, compilado com informações de 200 especialistas do mundo todo, é o primeiro a avaliar a escala global do problema e espera colocar grupos de saúde pública e desenvolvimento em ação. "Ficamos surpresos com o tamanho do problema no nível global", disse Etienne Krug, autoridade da OMS que trabalhou na elaboração do relatório, em entrevista coletiva. "Há ignorância sobre a magnitude e sobre o potencial para a prevenção." A África tem a maior taxa de mortes acidentais. Aproximadamente 95 por cento das mortes aconteceram nos países em desenvolvimento, principalmente na África, mas o problema é grave em países ricos também, onde as mortes acidentais afetam desproporcionalmente os pobres. O relatório global listou acidentes automotivos como a principal causa de morte, matando 260.000 crianças todos anos e ferindo 10 milhões. Afogamentos, queimaduras, quedas e envenenamentos acidentais completam as cinco primeiras posições da lista. Aproximadamente a metade dessas mortes poderia ser prevenida através da expansão do uso de assentos em carros, da cobertura de poços e piscinas, da construção de barreiras para evitar que as crianças tenham acesso a áreas de construção, além de outras medidas, constatou o relatório da OMS e do Fundo das Crianças das Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.