Acnur alerta para novos grupos armados na Colômbia

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) expressou nesta segunda-feira "alarme" pelo que parece ser a "formação de novos grupos armados irregulares" na Colômbia, particularmente no departamento de Nariño, no sudoeste do país. Além disso, fez um novo alerta sobre o aumento da violência nessa área do país, onde vários civis foram assassinados nas últimas duas semanas. A agência humanitária expressou preocupação com os distúrbios na localidade de Policarpa, que fica na zona montanhosa do norte do departamento de Nariño. O porta-voz do órgão, Ron Redmond, disse que no sábado cerca de 15 corpos apareceram em Policarpa procedentes de povoados próximos. Cinco seriam de civis que morreram durante confrontos entre grupos rebeldes, enquanto os outros dez foram assassinados. "Há informações confiáveis sobre outras mortes e desaparecimentos. O Acnur está alarmado porque parece que novos grupos armados estão se formando nessa área", acrescentou Redmond. Nestas circunstâncias, a agência pediu "urgentemente" aos representantes dos deslocados que "adiem seu retorno, devido à falta total de segurança em seus locais de origem". Segundo informações recebidas pela agência da ONU, os rebeldes interceptaram nos últimos dias deslocados sem documentos que tentavam retornar por conta própria a suas comunidades, apesar de, em alguns casos, os rebeldes terem feito ameaças aos que tentassem voltar. "Os deslocados insistem em que querem voltar sem demora, mesmo que tenham que fazer isso sozinhos, mas ao mesmo tempo pediram ao Acnur e a outras organizações internacionais que os acompanhem para evitar represálias", disse o porta-voz. Diante da difícil decisão de ter de acompanhá-los em condições potencialmente perigosas ou deixar mais de 2.200 pessoas completamente sem proteção, "o Acnur esteve de acordo em ajudá-los", afirmou. No entanto, Redmond disse que o órgão internacional está preocupado com a segurança a médio e longo prazo dos que voltaram a povoados do norte de Nariño, por isso enviará missões às localidades de Sánchez e Santa Rosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.