Oliver Contreras/Pool/EFE/EPA
Oliver Contreras/Pool/EFE/EPA

Ações de Trump põem em risco maioria republicana no Senado

Estrategistas e aliados do presidente temem que pandemia esteja por trás do desempenho ruim de candidatos do partido nas pesquisas

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2020 | 04h00

Os republicanos estão cada vez mais preocupados com a possibilidade de o partido perder a maioria no Senado nas eleições de novembro. O comportamento errático do presidente Donald Trump durante a pandemia, o colapso da economia e o crescimento do entusiasmo democrata, refletido nas últimas pesquisas, colocam em perigo a candidatura de alguns senadores. 

“O cenário é muito ruim”, disse ao Washington Post um estrategista republicano que trabalha na campanha e pediu para não ser identificado. “Estamos preocupados”, confirmou na segunda-feira, 11, um congressista do partido ao jornal The Hill. Um sinal negativo, segundo ele, é que a popularidade de quase todos os líderes mundiais subiu durante a pandemia – a de Trump caiu. No dia 1.º de abril, ela chegou a 47,4%, na média de sondagens do site Real Clear Politics. Hoje, está em 44,5%. 

Em novembro, os americanos renovarão 35 dos 100 senadores. Os republicanos têm hoje uma maioria de 53 a 47, mas terão de defender 23 cadeiras, enquanto os democratas apenas 12 – precisariam eleger 4 senadores a mais. Até pouco tempo atrás, era uma tarefa improvável. 

O problema é que a popularidade de Trump vem arrastando alguns nomes do Partido Republicano, que antes eram favoritos. Candidatos democratas vêm liderando as pesquisas nos Estados do Colorado, Carolina do Norte, Arizona e Maine, e a disputa está acirrada em outros, como Iowa e Flórida. “Hoje, a possibilidade de maioria no Senado é igual para os dois partidos”, disse a analista Jessica Taylor. Segundo ela, um dos fatores que ajudou os candidatos democratas foi a escolha do moderado Joe Biden, e não do radical Bernie Sanders, como candidato à presidência. / WP

 

Tudo o que sabemos sobre:
Donald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.