Ações em Glasgow e Londres podem ter a mesma autoria

Terroristas presos na Escócia podem ser os motoristas dos carros-bomba da Inglaterra

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 19h15

Autoridades britânicas suspeitam que os dois homens que lançaram um veículo em chamas contra o aeroporto de Glasgow, na Escócia, no último sábado, sejam os mesmos que estacionaram os dois carros-bomba encontrados em Londres na sexta-feira, segundo informações divulgadas pela CNN nesta segunda-feira, 2.Um dos suspeitos é um médico que está hospitalizado em condições críticas no mesmo hospital em que trabalha, no Royal Alexandra Hospital, nas proximidades de Glasgow.Segundo a BBC, dez minutos antes do ataque contra o aeroporto de Glasgow, as forças de segurança tinham localizado os dois ocupantes do veículo carregado com bujões de gás.Os dois teriam alugado uma casa no vilarejo de Houston, distante três quilômetros do aeroporto atacado. A imobiliária responsável pela locação afirma que policiais procuraram funcionários minutos antes do ataque do último sábado, perguntando sobre um número de celular.A polícia britânica se recusou a revelar a identidade de todos os suspeitos, mas a imprensa do país identificou um dos detidos como o médico Mohammed Asha.Asha é um jordaniano que se mudou para a Inglaterra há dois anos. Na Jordânia, o irmão de Asha, Ahmed, disse que o suspeito "não é um extremista muçulmano, não é um fanático", acrescentando que a acusação não faz sentido, pois o irmão "não tem ligações com terrorismo".Para Peter Clarke, chefe do comando de combate ao terrorismo da polícia britânica, "a ligação entre os três ataques está cada vez mais clara" e que "as investigações correm de modo rápido".PrisõesMais dois homens, de 25 e 28 anos, foram detidos no domingo à noite na região de Paisley, que fica nas redondezas do aeroporto de Glasgow. Com as novas prisões, sobe para sete o número de pessoas detidas em conexão com os ataques fracassados. Os investigadores também estão tentando rastrear o caminho percorrido pelo Jeep modelo Cherokee, que explodiu ao tentar invadir o terminal principal do aeroporto de Glasgow no sábado à tarde.Segundo a polícia, nenhum dos suspeitos seria de origem britânica. Informações obtidas pela BBC dizem que suas nacionalidades seriam de países do Oriente Médio.Desde a tentativa de atentado em Glasgow, o Reino Unido está sob o alerta de terrorismo "crítico", seu nível máximo. Com a segurança reforçada nos aeroportos do país nesta segunda-feira, muitos vôos estão sofrendo atrasos.Ainda segundo Clarke, as buscas que estão sendo feitas nos três veículos e as análises de milhares de horas de filmagens realizadas pelas câmeras de televisão em circuito fechado "estão sendo valiosíssimas".

Mais conteúdo sobre:
LondresGlasgowatentadosuspeitos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.