Acordo com Igreja liberta preso doente

O preso político Ariel Sigler, paraplégico e em estado grave, foi posto ontem em liberdade em Cuba após um acordo um acordo firmado entre o regime cubano de Raúl Castro e a Igreja Católica. Outros seis dissidentes foram transferidos para prisões próximas de suas casas como resultado do mesmo pacto com o Arcebispado de Havana. Sigler, de 45 anos, ficou paraplégico na prisão, por causa de problemas nutricionais. Detido em 2003, durante a onda de repressão conhecida como Primavera Negra - que encarcerou outros 74 opositores -, Sigler também tem problemas no estômago, esôfago e garganta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.