Acordo com Taleban liberta único americano preso no Afeganistão

Soldado foi solto em troca de 5 militantes presos em Guantánamo e deve passar por avaliações médicas  antes de retornar aos EUA

O Estado de S. Paulo

31 Maio 2014 | 14h46

 WASHINGTON -  O único prisioneiro de guerra dos Estados Unidos no Afeganistão foi libertado neste sábado, 31, após um acordo entre a Casa Branca e o Taleban. O sargento Bowe Bergdahl estava em poder do grupo radical islâmico desde 2009. Ele foi trocado por cinco militantes do grupo presos na base de Guantánamo, em Cuba.

Em comunicado, o presidente Barack Obama celebrou a libertação do militar. "A libertação do sargento é uma lembrança do compromisso inquebrável dos Estados Unidos em não deixar nenhum militar no campo de batalha", disse Obama, que telefonou pessoalmente para os pais do sargento para dar a notícia da libertação.

Bergdahl foi entregue por um grupo de 19 militantes do Taleban a agentes especiais do Exército americano. Ele foi transferido de helicóptero para a base de Bagram, nos arredores de Cabul e deve voltar para os Estados Unidos nos próximos dias, depois de passar por avaliações médicas. 

As negociações pela libertação do sargento esquentaram em janeiro, quando um vídeo obtido pelo Exército americano mostrava Bergdahl em condições aparentemente precárias de saúde. As negociações entre o governo e o Taleban foram intermediadas pelo governo do Catar. 

Bergdahl foi capturado em 2009 pela rede Haqqani - um grupo militante originário do Paquistão com ligações com o Taleban - depois de se perder de seu pelotão. Os cinco taleban envolvidos na troca de prisioneiros devem deixar Guantánamo ainda hoje com destino ao Catar, e de lá para o Afeganistão. / NYT e AP

Mais conteúdo sobre:
EUA Afeganistão Taleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.