Acordo de paz depende de eleição

Israel realiza eleições parlamentares antecipadas em 10 de fevereiro e a perspectiva de vitória do Partido Likud (oposição de direita), amplia a incerteza sobre as negociações de paz com os palestinos. O Likud, liderado pelo ex-premiê Binyamin Netanyahu, opõem-se à retirada israelense da Cisjordânia, assim como a criação de um Estado palestino - reivindicações-chave dos palestinos. Falando pela primeira vez sobre as negociações patrocinadas pelos EUA que ocorreram durante o ano, o negociador palestino, Ahmed Qurei, revelou que o governo de Ehud Olmert propôs anexar 6,8% da Cisjordânia e aceitar o retorno de 5 mil refugiados palestinos. No entanto, Israel nunca revelou sua posição sobre o futuro de Jerusalém Oriental, o principal ponto da disputa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.