Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Acordo de paz no Oriente Médio pode sem fechado em 2008, diz Blair

Para enviado, resolução do impasse na região é ato simbólico entre Islã e Ocidente

Efe, Efe

02 de fevereiro de 2008 | 10h08

Efe - Tony Blair, enviado especial do Quarteto de Madri para o Oriente Médio, disse que confia no alcance de um acordo de paz entre israelenses e palestinos ainda este ano, segundo uma entrevista publicada neste sábado, 2, pelo jornal inglês The Times.

"Não há nada mais importante para a paz mundial do que resolver este assunto", destaca o ex-primeiro-ministro do Reino Unido. Segundo Blair, resolver o conflito "daria um enorme impulso às forças moderadas" em uma região "em transição".

O ex-chefe de governo britânico também diz que um eventual acordo entre as partes "pode definitivamente ser alcançado este ano". Para ele, a resolução do conflito "seria um ato muito simbólico, não só entre Israel e o Estado palestino, mas entre o Islã e o Ocidente e entre as pessoas de religiões diferentes".

Blair afirmou ainda que confia em que seu aliado de longa data, o presidente americano, George W. Bush, fará sua parte para conseguir a paz na região este ano, o último de seu mandato como chefe de Estado dos EUA.

"O compromisso dos EUA com esse assunto mudou de forma significativa, tanto em qualidade quanto em quantidade, durante os dois últimos meses. Não há dúvida quanto a isso", disse o britânico.

Tony Blair viajará para o Oriente Médio na semana que vem, quando ajudará a encontrar uma solução para o problema na fronteira entre o Egito e a Faixa de Gaza, território palestino que vive uma crise humanitária provocada pelo bloqueio de Israel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.