Acordo de última hora evita greve em engenhos do México

Trabalhadores dos 58 engenhos de açúcar no México e empresários chegaram a um acordo de última hora no sábado para evitar uma greve que paralisaria a indústria no meio da safra. As partes chegaram a um acordo de aumento salarial de 4% para cerca de 45 mil empregados e o pagamento de 100% do salário para os que se aposentem. "A greve foi totalmente desarticulada", disse um porta-voz da Secretaria de Trabalho próximo às negociações. Os trabalhadores dos engenhos entraram em greve em novembro, atrasando o início da safra, mas alcançaram um acordo provisório para tratar do assunto até 20 de janeiro. Uma grande greve, com o conseqüente aumento dos preços do açúcar, seria uma forte dor de cabeça para o governo do presidente Felipe Calderón, atualmente pressionado para conter a alta dos alimentos básicos, como tortilla, frango, ovos e alguns vegetais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.