Acordo entre governo e professores pode resolver impasse no Peru

A liderança dos professores em greve e o governo peruano fizeram um acordo na noite desta quarta-feira que deverá resolver o impasse de mais de 20 dias e agilizar o fim do estado de emergência declarado há uma semana pelo presidente Alejandro Toledo.Segundo o secretário geral do Sindicato Unitário dos Trabalhadores da Educação, Nílver Lopez, uma assembléia, que acontecerá no sábado, vai decidir se o fim da greve será antecipado. As negociações aconteceram por intermédio da Igreja Católica, representado pelo bispo Luis Bambaren, que foi convidado pelas duas partes para mediar o impasse. Uma das reivindicações acertada com o chefe do Conselho de Ministros, Luis Solari, e o ministro da Educação, Gerardo Ayzanoa, foi o aumento salarial para os professores. O governo se comprometeu em dobrar os salários da categoria até 28 de julho de 2006, data do fim do mandato de Toledo.Durante as manifestações em apoio ao professores e contra o estado de emergência um estudante morreu baleado por policiais e outros 20 ficaram feridos na cidade de Puno. Cerca de 200 manifestantes foram detidos em todo o país. Com o possível acordo, o estado de emergência deve terminar em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.