Acordo internacional vai limitar uso do tabaco

Apesar de o controle do uso do tabaco estar sendo debatido há três anos pela comunidade internacional, somente agora os países iniciarão as discussões sobre o texto de um acordo internacional que limite o uso do produto no mundo. Neste domingo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) iniciou a quarta sessão negociadora com o objetivo de debater o texto do acordo que terá que estar pronto até o próximo ano. As negociações serão presididas pelo embaixador do Brasil em Genebra, Luis Felipe de Seixas Correa, que alerta que a reunião desta semana será crucial para o futuro do acordo. "Nos próximos meses, teremos que dobrar nossos esforços para atingir o objetivo de ter uma convenção pronta para adoção em maio de 2003", afirma o embaixador.O objetivo do tratado é reduzir o consumo de tabaco no mundo por meio de restrições à propaganda, contrabando e mesmo à venda do produto. O problema é que, em muitos países, a constituição impede muitas dessas iniciativas, já que o cigarro é um produto comercializado legalmente.Outro obstáculo são os países que dependem das exportações de fumo, como o Zimbábue. Mesmo no Brasil, os produtores de fumo do sul do País têm protestado contra o acordo. O argumento contrário é de que o tabaco tem causado a morte de 4,2 milhões de pessoas a cada ano, a maioria nos países em desenvolvimento."A cada oito segundos, uma pessoa morre por causa de doenças relacionadas ao cigarro. Mesmo assim, o marketing promove a idéia de que fumar é o comportamento normal", completa Seixas Correa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.