Acordo nuclear do Irã é 'um passo positivo', diz Sarkozy

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou que considera "um passo positivo" o acordo pelo qual o Irã enviará parte de seu urânio pouco enriquecido para a Turquia. O comentário está em um comunicado do escritório da presidência francesa, divulgado hoje.

AE, Agência Estado

18 Maio 2010 | 11h34

"O presidente da República acredita que a transferência de 1.200 quilos de urânio pouco enriquecido pelo Irã é um passo positivo", nota o texto. "Ele deve, logicamente, ser acompanhado por um interrupção no enriquecimento (de urânio) a 20%", completa o comunicado.

O acordo foi fechado ontem entre Irã, Turquia e Brasil. Segundo o documento, o Irã enviará 1.200 quilos de urânio pouco enriquecido ao território turco e, então, receberá combustível para seu reator nuclear em Teerã. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, porém, afirmou ontem que o país não pretende parar de enriquecer urânio, mesmo com o acordo.

Teerã já sofreu três rodadas de sanções no Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) por seu programa nuclear. O país diz ter apenas fins pacíficos, mas potências lideradas pelos Estados Unidos suspeitam que há também um programa secreto para produção de armas.

A França, ao lado de EUA, China, Rússia e Grã-Bretanha, é um dos membros permanentes do Conselho de Segurança que tem poder de veto. O Brasil e a Turquia ocupam vagas temporárias, sem poder de veto. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.