Acordo nuclear facilita a exportação de petróleo iraniano

Potências ocidentais aceitaram levantar parte das sanções, que comprometem economia iraniana

O Estado de S. Paulo,

26 de novembro de 2013 | 15h42

DUBAI - O acordo nuclear entre o Irã e países ocidentais do grupo P5+1 vai tornar mais fácil e barato negociar o petróleo iraniano, disse uma autoridade do setor industrial iraniano nesta terça-feira, 26.

O acordo restringe o programa nuclear de Teerã em troca do alívio limitado das sanções, incluindo o compromisso de permitir que alguns embarques de petróleo do país sejam cobertos por provedores de seguro naval, ramo dominado pela Grã-Bretanha.

As sanções dos Estados Unidos e da União Europeia levaram as exportações iranianas de petróleo a se reduzirem de 2,5 milhões para cerca de 1 milhão de barris por dia, mas o governo americano afirma que não permitirá que as exportações subam além dos níveis atuais.

"Com base nesse acordo, as exportações iranianas de óleo bruto não vão declinar e nossos clientes poderão comprar petróleo do Irã sem nenhuma ansiedade, e não terão de procurar alternativas", disse o vice-ministro para Assuntos Internacionais e Comércio do Ministério do Petróleo.

"Nenhuma nova sanção será imposta à indústria petrolífera do Irã nos próximos seis meses e nossos clientes podem firmar longos contratos com o Irã em vez de comprar remessas da Companhia Nacional Iraniana de Petróleo."

A pressão ocidental sobre os clientes do Irã para que procurassem outros fornecedores levou a uma alta nas vendas da Arábia Saudita no último ano.

O compromisso dos EUA de não buscar cortes mais elevados nas exportações do Irã nos próximos seis meses e a perspectiva de alguns embarques obterem cobertura de seguros da UE são um raro e bem-vindo alívio para a combalida economia do Irã, baseada no petróleo.

Além de ter de reduzir suas compras por causa das sanções de Washington, os maiores compradores do petróleo iraniano vêm adiando as importações, mesmo de volumes permitidos, porque não puderam ter acesso ao competitivo mercado de seguros navais, dominado por empresas europeias. "O custo de exportação do petróleo do Irã aumentou porque, além de nós, nossos clientes também tinham de pagar mais para segurar os petroleiros", afirmou Majedi./ REUTERS

 
Mais conteúdo sobre:
Irãacordo nuclearpetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.