Acordo para Ucrânia se integrar à UE será ratificado 3ªf

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, informou hoje que os parlamentos europeu e ucraniano vão ratificar na próxima semana um acordo para que seu país passe a integrar a União Europeia.

Estadão Conteúdo

12 de setembro de 2014 | 08h40

"Os ucranianos enfrentaram os testes mais duros de suas vidas para se tornarem parte da União Europeia", disse Poroshenko durante a Conferência de Yalta. O evento, que era normalmente realizado na Crimeia, foi transferido para Kiev este ano, após a Rússia ter anexado a península em março.

Poroshenko vinha sofrendo pressão de partidos pró-Europa que o acusavam de estar retardando a ratificação do acordo, ao qual a Rússia faz forte oposição por ameaçar seus interesses estratégicos na região. Segundo o líder ucraniano, o pacto será ratificado na terça-feira (16).

A Rússia, que hoje se tornou objeto de novas sanções da UE por seu suposto papel na onda de violência no leste ucraniano, quer que o acordo seja alterado. Numa tentativa de manter o país na órbita de Moscou, o Kremlin ameaçou restringir o comércio com os ucranianos.

O pacto da UE com Kiev foi um fator crucial na crise da Ucrânia. A decisão do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych de abandonar o acordo, em novembro do ano passado, gerou amplas manifestações populares que acabaram levando à sua destituição. Meses depois, a Rússia anexou a Crimeia e separatistas pró-Moscou ocuparam grandes áreas de território no leste ucraniano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
UcrâniaUEAcordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.