Acordo pode encerrar greve portuária no Chile

O governo do Chile chegou a um acordo com os líderes sindicais na madrugada deste sábado para acabar com uma greve que durou um mês em vários portos do país e que prejudicou as exportações chilenas.

Agência Estado

25 de janeiro de 2014 | 15h57

"Chegamos a um acordo com os trabalhadores, que reflete satisfatoriamente as suas preocupações", disse o ministro do Trabalho, Juan Carlos Jobet, após três dias de intensas negociações.

O governo cedeu às demandas dos trabalhadores para o pagamento de uma pausa de meia hora para almoço por dia, retroativos a 2005.

No entanto, o porta-voz sindical, Sergio Vargas, declarou que os estivadores só voltarão ao trabalho quando as empresas que operam os portos assinarem o acordo.

As atividades em vários portos no sul do Chile ficaram paralisadas durante a greve, que se espalhou para estaleiros de outras partes do país.

Segundo o governo, a greve teve um grande impacto sobre o mercado de exportação de cobre, de frutas e de legumes do Chile. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Chileportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.