Acordo prevê criação de cinco comissões para debater conflitos

BOGOTÁ

AFP, AP E REUTERS, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2010 | 00h00

Para garantir a estabilidade para o restabelecimento das relações diplomáticas, o acordo entre Colômbia e Venezuela prevê a criação de cinco comissões bilaterais para tratar dos principais problemas. A ministra de Relações Exteriores colombiana, María Angela Holguín, se reunirá com o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, em Caracas, no dia 20. Os dois devem definir como funcionarão as comissões e quem as integrarão.

Para Bogotá, a principal comissão é a que discutirá o pagamento das dívidas venezuelanas de US$ 800 milhões com exportações colombianas. Outro grupo deve restaurar o comércio bilateral.

A retomada das relações deve aliviar as restrições de importações colombianas para Caracas, mas podem não causar o efeito esperado por Hugo Chávez na economia por causa da desvalorização da moeda venezuelana. A recessão é hoje a principal ameaça para o governo chavista nas eleições legislativas de setembro e, caso a aproximação com Bogotá não mostre resultados rapidamente, Chávez pode retomar seu discurso duro contra a Colômbia, ameaçando as negociações diplomáticas.

Outras comissões discutirão questões envolvendo a infraestrutura e investimentos sociais na fronteira e a segurança dos dois países, como ações conjuntas de vigilância para evitar que grupos armados busquem abrigo em território venezuelano, tema delicado em Caracas.

No passado, Chávez defendeu a legitimidade das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), mas chegou perto de um conflito armado quando foi acusado por Bogotá de abrigar guerrilheiros no país.

TEMAS BINACIONAIS

Pagamento da dívida

Garantirá que Caracas pague débitos adquiridos com exportações colombianas

Infraestrutura

Acordo para saída de produtos venezuelanos para o Pacífico

Acordo econômico

Revitalizará comércio bilateral

Investimento social

Projetos conjuntos na fronteira

Segurança

Vigilância contra guerrilheiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.