Red Huber/EFE
Red Huber/EFE

Acusada de matar a filha de 2 anos, Casey Anthony é libertada na Flórida

Anthony foi declarada inocente dos crimes mais graves dos quais era acusada (homicídio qualificado sem premeditação e abuso infantil qualificado), gerando indignação

estadão.com.br, com agências internacionais,

17 de julho de 2011 | 12h19

SÃO PAULO - Inocentada dia 7 de julho, Casey Anthony, acusada de matar a filha de apenas 2 anos de idade, foi liberada na manhã deste domingo, 17. Usando uma camiseta cor-de-rosa e calça jeans, ela deixou o presídio na Flórida cercada por manifestantes.

 

Anthony foi declarada inocente dos crimes mais graves dos quais era acusada (homicídio qualificado sem premeditação e abuso infantil qualificado), o que gerou indignação e críticas entre a opinião pública americana e anulou a possibilidade de ser condenada à morte.

 

O júri a considerou culpada de quatro delitos menores por ter mentido na investigação do caso e Casey foi condenada a quatro anos de prisão. No entanto, visto que já está há três anos na prisão e teve um bom comportamento, a pena imposta permitirá que seja libertada nos próximos dias.

 

A defesa sustentou que a menina morreu afogada na piscina da casa da família, enquanto a Promotoria indicava que morreu depois que a mãe a fez inalar clorofórmio e tapou seu nariz e boca com fita adesiva. O motivo seria que o bebê era "um estorvo para a vida de festas que queria ter".

 

Manifestantes aguardam saída de Casey Anthony

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.