Acusado assume atentado em Bali e diz que não se arrepende

Imam Samudra, um dos acusados pelos atentados do ano passado em Bali, na Indonésia, disse nesta quarta-feira que o ataque foi justificável segundo as leis do Islã porque vingou os assassinatos de muçulmanos inocentes por parte dos EUA e de seus aliados. Samudra disse também que não se sente arrependido pelo atentado de 12 de outubro contra um clube noturno, que causou a morte de 202 pessoas, em sua maioria turistas estrangeiros. As autoridades dizem que ele é um importante membro do grupo Jemaah Islamiyah, uma organização vinculada à rede Al-Qaeda e considerada responsável pelo ataque. O ativista, que recebeu treinamento no Afeganistão, está sendo acusado de planejar e realizar o atentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.