Acusado de atentados a Bali é condenado à prisão perpétua

Ali Imron, acusado de ter participado dos atentados a Bali, em outubro do ano passado, foi condenado nesta quinta-feira à prisão perpétua. A defesa tentava uma sentença de 20 anos. Segundo os juízes, Imron não foi condenado à morte porque disse ter remorso pela morte das 202 pessoas, a maioria estrangeiros, e por testemunhar contra outros participantes dos atentados. Durante o julgamento, ele admitiu ter confeccionado uma das duas bombas que explodiram nas duas casas noturnas. O irmão mais velho de Imron, Amrozi bin Nurhasyim, e o mentor dos atentados, Imam Samudra, já foram julgados e condenados à morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.