Acusado de estuprar e matar na Índia é preso por 3 anos

Nova Délhi, 31/08/2013 - A justiça indiana condenou, neste sábado, o primeiro acusado de participação em um estupro coletivo a uma jovem em Nova Délhi, em dezembro do ano passado. O crime gerou revolta e uma onda de protestos contra a violência sexual na Índia. O acusado, que tinha 17 anos à época do crime, recebeu a pena máxima permitida para menores de idade: três anos de reclusão. A sentença incluirá o tempo que ele já passou sob custódia.

Agência Estado

31 de agosto de 2013 | 15h57

"Ele foi condenado por estupro e assassinato e condenado a três anos sujeitos a revisão", afirmou Anil Sharma, diretor de investigação do caso. Esse foi o primeiro julgamento sobre o estupro, que tem mais cinco acusados de envolvimento.

A vítima, uma estudante de fisioterapia de 23 anos, morreu com complicações causadas por ferimentos internos após ser estuprada por seis homens na noite do dia 16 de dezembro. Ela também foi agredida com uma barra de ferro.

A mãe da estudante saiu do tribunal em lágrimas, lamentando o que considerou uma pena muito leve ao rapaz. "Ele pegou apenas três anos ... a partir de dezembro ele recebeu de três anos". A família da vítima pedia a pena de morte para o acusado, alegando que o sistema de justiça juvenil é muito brando. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaestupro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.