Siphiwe Sibeko / Reuters
Siphiwe Sibeko / Reuters

Acusado de estupro, neto de Nelson Mandela é preso em Johannesburgo

Mbuso Mandela, de 24 anos, irá a tribunal na sexta-feira; jovem diz que ele a atacou em banheiro de restaurante

O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2015 | 17h45

JOHANNESBURGO - Mbuso Mandela, um dos 17 netos de Nelson Mandela, foi preso nesta terça-feira, em Johannesburgo, acusado de ter estuprado uma jovem de 15 anos, de acordo com a polícia da África do Sul.

Mbuso, de 24 anos, se apresentou espontaneamente à Justiça na segunda-feira e deve comparecer a um tribunal na sexta-feira para uma audiência.

De acordo com o jornal sul-africano Daily Sun, Mbuso é acusado de estuprar a adolescente em um banheiro de restaurante em Johannesburgo no dia 7.

A adolescente estava jantando com amigos no popular restaurante quando foi ao banheiro e foi atacada pelo neto de Mandela, disse o porta-voz da família ao jornal. Segundo ele, a família de Mbuso tentou interferir na investigação da polícia.

A matriarca da família, Winnie Madikizela-Mandela, enviou um de seus guarda-costas, vestido como policial, à casa da família da adolescente, disse o porta-voz. "Quando o pai da jovem pediu uma identificação ele não tinha nenhuma. então, descobriu-se que havia sido enviado por Winnie", acrescentou.

"Só porque têm um sobrenome famoso acham que podem se livrar de um crime", declarou o porta-voz. Nelson Mandela, ativista contra a segregação racial na África do Sul, foi escolhido presidente na primeira eleição democrática no país, em 1994. Ele ficou preso entre 1962 e 1990 por combater o apartheid. Mandela morreu em 2013 aos 95 anos. / Associated Press e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.