Acusado de tiroteio em Tucson se diz inocente, aponta advogado

Jared Lee Loughner é apontado como responsável por ataque que matou 6 e feriu 14 no Arizona

Estadão.com.br

24 de janeiro de 2011 | 19h05

TUCSON - O jovem Jared Lee Loughner, acusado de cometer um ataque a tiros durante um comício político em Tucson, no Arizona, se declarou inocente nesta segunda-feira, 24, em uma corte federal, informou seu advogado, segundo informações da agência de notícias AFP.

 

Sua advogada Judy Clarke,, ex-defensora do autor do atentado de Oklahoma Timothy McVeigh, e do 'unabomber' Theodore Kaczynski, pediu ao juiz federal Larry A Burns, que declare seu cliente não culpado pelas três acusações que enfrenta.

 

Espera-se que o estado do Arizona e autoridades locais apresentem outras acusações contra o jovem de 22 anos.

 

O tiroteio matou 6 pessoas e feriu 14, incluindo a deputada democrata americana Gabrille Giffords, suposto alvo de Loughner. A deputada, que levou um tiro a queima roupa na cabeça ainda se recupera do ferimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.