Acusado dos ataques a Londres teria apoiado treino no Afeganistão

Mohammad Sidique Khan, considerado o líder dos atentados de Londres de 7 de julho de 2005, ajudou a recrutar jovens muçulmanos para treinamento no Afeganistão, muito antes desses ataques, afirma hoje o jornal "The Sunday Times".Quatro anos antes do 7 de julho, Khan colaborou com outros dois suicidas britânicos para o recrutamento de jovens, a fim de doutriná-los e levá-los a campos de treinamento, acrescenta o dominical.Novas investigações vinculam Khan a Omar Sharif e Hanif Asif, que mataram a três pessoas e deixaram 50 feridos em um ataque suicida em um bar de Tel Aviv em 2003, acrescenta.Os estreitos vínculos entre os dois grupos suicidas sugerem que a rede terrorista islâmica no Reino Unido poderia estar mais unida do que se pensava, ressalta o jornal.Também coloca dúvidas sobre se Khan poderia ter envolvimento nos ataques de Tel Aviv.O "Sunday Times" acrescenta que a Polícia israelense confirmou que Khan visitou Israel em 19 de fevereiro de 2003, dois meses antes do atentado no bar da cidade.Aparentemente, Khan ficou apenas 24 horas no país, mas as autoridades israelenses não puderam estabelecer se foi uma missão de reconhecimento para os terroristas suicidas, diz o dominical.Estas revelações podem ajudar a Polícia britânica em suas contínuas investigações sobre o 7 de julho.Na manhã de 7 de julho do ano passado, Khan, que vivia em Leeds (norte da Inglaterra), detonou a bomba que levava em sua mochila na estação de metrô de Edgware Road.Outras duas bombas explodiram em dois comboios do metrô de Londres e uma quarta em um ônibus urbano da linha 30 na praça Tavistock, próxima ao Museu Britânico.Os quatro terroristas suicidas causaram a morte de 52 pessoas e deixaram mais de 700 feridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.