Acusados de massacre no Usbequistão declaram-se culpados

Os primeiros suspeitos de participar em uma onda de violência no Usbequistão que matou pelo menos 47 pessoas descreveram no tribunal uma rede de extremistas islâmicos que envia militantes a áreas tribais no Paquistão, onde são treinados no uso de armas e no emprego de aviões em atentados. Depois da leitura das acusações, os 13 homens e duas mulheres em julgamento se declaram culpados. Cada suspeito é acusado por vários crimes, de terrorismo e assassinato, e poderá ser condenado à morte. Os ataques, ocorridos no início de março e no início de abril, foram os mais sérios a atingir esta ex-república soviética desde o bombardeio da capital, Tashkent, em 1999.

Agencia Estado,

26 de julho de 2004 | 14h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.