Acusados de planejar explosões de aviões são condenados a prisão perpétua

Os quatro réus estavam envolvidos no plano de atingir aeronaves com explosivos líquidos.

BBC Brasil, BBC

14 de setembro de 2009 | 10h36

Três homens acusados de ter planejado atentados em aviões transatlânticos com explosivos líquidos foram condenados à prisão perpétua na Grã-Bretanha, com tempo mínimo de até 40 anos.

Abdulla Ahmed Ali, de 28 anos, Assad Sarwar, de 29, e Tanvir Hussein, de 28, foram presos em 2006 e, por causa de seus planos, até hoje os aeroportos e companhias aéreas aplicam regras para limitar o porte de líquidos nas aeronaves.

No julgamento realizado em Londres, a corte ouviu que Ahmed Ali havia escolhido sete voos entre o aeroporto de Heathrow, na capital britânica, e a América do Norte, que seriam atacados no espaço de duas horas e meia.

Um quarto homem, Umar Islam, de 31 anos, também foi condenado à prisão perpétua, mas por uma acusação mais abrangente, de conspiração para assassinato.

'Grave e mal intencionado'

Os réus, todos eles muçulmanos britânicos, não demonstraram sinais de comoção ao ouvirem suas sentenças. Mas momento antes, ao escutar as ponderações do juiz, Ahmed Ali balançou a cabeça e pareceu irritado e frustrado.

"Com este plano, vocês queriam chamar a atenção do mundo. Agora conseguiram", declarou o juiz.

"Trata-se da conspiração mais grave e mal intencionada já provada nesta jurisdição", seguiu o magistrado.

"A intenção era perpetrar uma revolta terrorista que entraria para a História junto com 11 de Setembro. Se essa conspiração não tivesse sido interrompida, quase certamente teria havido uma enorme perda de vidas. E se os explosivos fossem detonados em terra, o número de vítimas teria sido ainda maior", concluiu.

O diretor da Promotoria Pública, Keir Starmer, está tentando obter um novo julgamento para outros três homens acusados de envolvimento no caso, depois que um júri não conseguiu chegar a um veredicto para eles.

Uma audiência em 5 de outubro deve decidir se Ibrahim Savant, de 28 anos, Arafat Khan, também de 28, e Waheed Zaman, de 25, enfrentarão outro julgamento.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.