Adiada cirurgia a que Sharon seria submetido

A intervenção cirúrgica para restituir parte do crânio do primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, que seria realizada na tarde desta terça-feira, foi adiada devido a uma leve infecção em suas vias respiratórias, informou a edição eletrônica do jornal "Ha´aretz". A operação seria feita nesta tarde por uma equipe de neurocirurgiões no Hospital Hadassah, onde o político israelense se encontra internado em coma há três meses. Segundo fontes médicas, citadas pela publicação, a intervenção tinha como objetivo permitir com que Sharon, de 78 anos, pudesse ser transferido a um centro médico especializado em doentes crônicos. O chefe de governo israelense se encontra internado em uma sala de urgências do departamento de neurologia, desde que no final de fevereiro teve um terço de seu intestino grosso extraído. Incapacitado O gabinete de Israel vai declarar o primeiro-ministro Ariel Sharon "permanentemente incapacitado", em seu encontro da próxima semana, informou na segunda-feira o jornal Yediot Ahronot. O secretário de Justiça de Israel declarou Sharon temporariamente incapacitado depois que o premier sofreu um derrame em 4 de janeiro. Desde então, o vice-primeiro-ministro Ehud Olmert vem ocupando o cargo que pertencia a Sharon. A votação do gabinete no próximo domingo, que entrará em efeito em 14 de abril, declarará Olmert primeiro-ministro.

Agencia Estado,

04 Abril 2006 | 03h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.