Adiadas manobras militares com os EUA na Argentina

Os desacordos entre a Argentina e os Estados Unidos sobre a exigência de imunidade para os soldados americanos provocaram o adiamento das manobras militares Aguila III, que deveriam começar dia 27 próximo na província de Mendoza. Participariam dos exercícios as forças aéreas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, EUA, Paraguai e Uruguai.Segundo o chanceler Rafael Bielsa, "o Aguila III acontecerá em uma nova data". Bielsa atribuiu o adiamento "aos prazos parlamentares", citando a oposição do Congresso argentino a outorgar imunidade aos militares americanos, nos termos solicitados pelo governo dos EUA. Bielsa disse estar trabalhando "para evitar que haja recrudescimento nas relações com os Estados Unidos".O governo do presidente Néstor Kirchner pediu ao Congresso a concessão de "imunidade funcional" aos militares estrangeiros que ingressem na Argentina para realizar as manobras. Ficariam, então, fora da jurisdição dos tribunais locais unicamente em situações esporádicas no âmbito dessas manobras. Mas a imunidade parcial é insuficiente para os Estados Unidos, que pedem a plena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.