Administração Obama encerra programa do Pentágono para treinar e equipar rebeldes sírios

Administração Obama encerra programa do Pentágono para treinar e equipar rebeldes sírios

Anúncio oficial deve ser feito nesta sexta-feira, afirmou secretário da Defesa Ashton Carter

O Estado de S. Paulo

09 Outubro 2015 | 11h25

WASHINGTON - A administração Obama encerrou o programa de US$ 500 milhões do Pentágono para treinar e equipar rebeldes sírios moderados, afirmaram autoridades americanas nesta sexta-feira, 9, em um sinal de reconhecimento de que o programa falhou em produzir combate por terra capaz de enfrentar o Estado Islâmico na Síria.

A medida deve ser anunciada oficialmente nesta sexta, após o secretário da Defesa Ashton Carter deixar Londres, onde realizou um pronunciamento sobre o tema. "Eu não estava satisfeito com os esforços anteriores, então nós idealizamos vários enfoques quanto à ajuda aos rebeldes (sírios)", afirmou Carter junto com seu colega britânico Michael Fallon. "Em breve as propostas aprovadas pelo Obama serão conhecidas", acrescentou. No encontro com Fallo, Carter discutiu os conflitos no Iraque a na Síria.

De acordo com uma importante autoridade do Departamento de Defesa americano, que falou ao jornal New York Times sob condição de anonimato, não haverá mais o recrutamento de rebeldes moderados para treinar na Jordânia, Quatar, Arábia Saudita ou nos Emirados Árabes. 

A nova medida, segundo a autoridade, será ter um centro de treinamento menor na Turquia, onde um pequeno grupo de pessoas - principalmente líderes de grupos opositores - será ensinado a realizar manobras operacionais, como, por exemplo, requisitar ataques aéreos. / AFP e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.