AFP
AFP

Administração Obama quer ampliar poderes de luta contra Estado Islâmico

O secretário de Estado americano, John Kerry, pediu ao Congresso nesta terça-feira novos poderes de guerra a fim de fornecer fundamentação legal para operações militares dos EUA

O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2014 | 21h13

contra o grupo extremista Estado islâmico. Ele disse que qualquer nova autorização não deve limitar a luta no Iraque e na Síria nem impedir indefinidamente que o presidente Barack Obama envie tropas terrestres contra o grupo, se necessário.

Na batalha dos EUA contra os militantes islâmicos, Obama vem contando com autorizações do Congresso que o ex-presidente George W. Bush usou para justificar ações militares após os ataques do 11 de setembro. Obama tem insistido que tem autoridade legal para enviar cerca de 3.000 soldados para treinar e auxiliar as forças de segurança iraquianas, além de lançar centenas de ataques aéreos contra alvos no Iraque e na Síria desde setembro.

Mais recentemente, o presidente disse que quer uma nova autorização para uso da força militar, mas a fala de Kerry é a primeira vez que um funcionário do governo demonstra publicamente quais os elementos a Casa Branca quer ver em uma proposta.

De acordo com Kerry, o governo está buscando uma autorização que não inclua uma limitação geográfica. Os EUA não esperaram levar a ação militar para fora do Iraque e da Síria, mas "seria um erro anunciar aos militantes Estado Islâmico que eles têm refúgio seguro no exterior

desses países", disse o secretário. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACongressoEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.