Administrador do Iraque vai pedir ajuda à ONU

Apelando às Nações Unidas para tentar manter o cronograma de devolução da soberania ao povo iraquiano, o administrador nomeado pelos EUA para o país, Paul Bremer, deixou Bagdá para participar de reuniões na ONU e na Casa Branca. Bremer deverá se reunir na sexta-feira com Condoleezza Rice, conselheira de Segurança Nacional do presidente George W. Bush, e possivelmente com o próprio Bush, diz uma fonte. Na segunda-feira, Bremer vai a Nova York encontrar-se com o secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan.A reunião com Annan, da qual também participarão lideranças iraquianas, deverá preparar o caminho para a volta da ONU ao Iraque e para que o organismo internacional assuma um papel nas eleições que devem ocorrer no país árabe, disseram duas fontes do governo americano.O plano americano para a retomada da soberania pelos iraquianos com a permanência de tropas estrangeiras no país está em xeque desde que líderes da maioria da população, os muçulmanos xiitas, passaram a exigir eleições diretas para o Parlamento que decidirá o futuro da ocupação. Depois de ter procurado reduzir a presença e o poder da ONU no país a um nível mínimo, agora o governo Bush procura ajuda das Nações Unidas para lidar com as exigências dos xiitas.O governo iraquiano nomeado pelos EUA havia concordado com a eleição de um corpo legislativo por meio de convenções regionais, e não do voto direto. A administração americana teme que a maioria xiita vote por um Estado islâmico semelhante ao vizinho Irã. O prazo estabelecido para a transferência de soberania é 1º de julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.