Adam Rogan/The Journal Times via AP
Adam Rogan/The Journal Times via AP

Caso Kyle Rittenhouse: jovem que matou 2 em ato antirracista nos EUA é absolvido

Kyle Rittenhouse, à época com 17 anos, foi filmado caminhando ostensivamente com um fuzil durante manifestações e disparou quatro vezes contra uma das vítimas; ele afirma que agiu em legítima defesa

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2021 | 19h27
Atualizado 20 de novembro de 2021 | 10h10

Kyle Rittenhouse, o jovem branco de 18 anos que atirou e matou dois manifestantes antirracismo no ano passado em Kenosha, Estado do Wisconsin, foi absolvido nesta sexta-feira por doze jurados.

Armado com um fuzil AR-15 munido com 30 balas, Rittenhouse matou dois homens e feriu um terceiro que participavam de atos contra a violência policial e o racismo nos Estados Unidos. Contra uma das vítimas, ele disparou quatro vezes. Nesta sexta-feira, Rittenhouse foi absolvido de todas as acusações imputadas a ele pela promotoria, que incluíam homicídio qualificado.

Entenda o caso:

Quem é Kyle Rittenhouse?

Kyle Rittenhouse é um americano branco de 18 anos que, na noite de 25 de agosto de 2020, matou dois manifestantes antirracistas e feriu um terceiro em Kenosha, Wisconsin. Ele tinha 17 anos à época. Rittenhouse foi descrito pela polícia como um adolescente extremamente perturbado e fanático pelo movimento Blue Lives Matter – “vidas azuis” é uma referência à cor do uniforme dos policiais, uma organização criada como contraponto ao Black Lives Matter. Nas redes sociais, manifestava apoio a movimentos de extrema direita, como o MAGA (Make America Great Again).

O que acontecia em Kenosha?

No dia 23 de agosto, policiais de Kenosha atiraram ao menos 7 vezes contra as costas de Jacob Blake, um jovem negro de 29 anos, durante uma abordagem policial. Blake sobreviveu, mas foi internado em estado grave e ficou paralisado. Ele ainda se recupera dos tiros.

A abordagem violenta desencadeou protestos nos Estados Unidos e no mundo. Nas duas primeiras noites de manifestações antirracistas, centenas de manifestantes desafiaram o toque de recolher, provocaram incêndios e destruíram fachadas de lojas. Houve confronto com a polícia. Nas redes sociais, páginas de extrema direita começaram a emitir chamados para que as pessoas “pegassem em armas” e ajudassem a “defender a cidade” de “bandidos”. Na terceira noite, civis foram vistos carregando armas nas ruas. 

Como Kyle Rittenhouse matou os manifestantes?

Rittenhouse já havia participado de programas de cadetes da polícia local. À época, ele vivia em Antioch, Illinois, a cerca de 32 km de Kenosha.

Com um amigo, Dominick David Black, Rittenhouse rumou para Kenosha para supostamente ajudar a “defender” uma concessionária de automóveis. Ele portava um fuzil.

Horas antes de matar os manifestantes, Rittenhouse apareceu em vários vídeos e deu ao menos duas entrevistas. Ele também foi visto conversando com policiais.

Em vídeos divulgados na época, o jovem aparece carregando ostensivamente o fuzil entre manifestantes que correm atrás dele. 

Pouco antes da meia noite, Joseph Rosenbaum, a primeira vítima, foi visto perseguindo Rittenhouse em um estacionamento de carros usados enquanto Rittenhouse gritava “amigável, amigável, amigável”. Rosenbaum jogou um saco plástico contendo produtos de higiene pessoal em Rittenhouse, que alega que o manifestante agarrou sua arma. Ele disparou quatro vezes contra Rosenbaum.

Rittenhouse então fugiu da cena do crime, sendo perseguido por uma multidão crescente. Poucos minutos depois, após tropeçar no chão, ele atirou fatalmente em Anthony Huber, um jovem de 26 anos que o ameaçou com um skate. Huber foi a segunda vítima do então adolescente.

Ao ver os disparos, Gaige Grosskreutz, agora com 27 anos, parou de se mover em direção a Rittenhouse e levantou as mãos. Ele segurava uma arma. Quando Grosskreutz voltou a se mexer, Rittenhouse atirou contra ele, cortando a maior parte de seu bíceps. Grosskreutz sobreviveu ao ataque. 

No tribunal, ele argumentou que atirou por autodefesa, porque estava sendo perseguido. "Eu fiz o que tinha que fazer para parar a pessoa que estava me atacando", disse. Promotores do caso, no entanto, afirmam que as vítimas tentavam impedir o jovem de disparar contra os manifestantes.

Como Rittenhouse foi preso?

Após caminhar em direção à polícia com as mãos para cima e o rifle pendurado em seu corpo, Rittenhouse é ignorado pelos agentes. Por volta das 1h30 do dia 26 de agosto, ele se apresenta, acompanhado de sua mãe, em uma delegacia de polícia de Antioch. Rittenhouse é preso, solto sob fiança e acusado de vários crimes, incluindo homicídio e tentativa de homicídio. 

Qual foi a repercussão do caso na época?

O caso dividiu os Estados Unidos, um país já muito polarizado. Rittenhouse se tornou um herói da extrema direita e foi glorificado como protetor de uma cidade assolada pelo vandalismo e pela agitação social. Para o outro lado, Rittenhouse é um extremista, e suas vítimas foram heróicas ao tentar desarmá-lo. 

Uma campanha na plataforma de financiamento coletivo GoFundMe para o manifestante Gaige Grosskreutz, que foi ferido por Rittenhouse, arrecadou mais de US$ 78 mil para pagar suas contas hospitalares. E outra campanha arrecadou mais de $ 150 mil para Anthony Huber, que foi morto. O mesmo site removeu uma campanha de arrecadação de fundos para Rittenhouse, mas um site de crowdsourcing cristão arrecadou mais de US$ 600 mil para os honorários jurídicos de Rittenhouse, doados por pessoas que o chamam de “corajoso” e “patriota”.

Quais acusações Rittenhouse enfrentava?

Kyle Rittenhouse enfrentava cinco acusações criminais e várias acusações relacionadas. Todas as acusações criminais carregavam o agravante de “uso de uma arma perigosa”.

As cinco acusações criminais eram:

  • Acusação 1: Homicídio culposo de primeiro grau;
  • Acusações 2 e 3: Ameaça culposa à segurança em primeiro grau;
  • Acusação 4: Homicídio doloso de primeiro grau;
  • Acusação 5: Tentativa de homicídio doloso em primeiro grau.

Como é formado o júri que inocentou Rittenhouse?

O júri que inocentou Rittenhouse era composto por 12 pessoas, cinco homens e sete mulheres. Não foram divulgadas informações sobre a raça dos jurados A condenação ou absolvição de crimes contra a vida nos EUA ocorre apenas por unanimidade. /Com agências

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.