Richard Drew / AP
Richard Drew / AP

Adolescente de 13 anos é preso por suspeita de matar universitária a facadas em Nova York

Antes de ser detido, o menor teria confessado o crime contra Tessa Majors, de 18 anos, que caminhava pelo parque Morningside quando foi atacada

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2019 | 14h49

NOVA YORK, EUA - Um adolescente de 13 anos foi preso na sexta-feira, 13, em Nova York suspeito de ter matado a facadas uma estudante universitária que caminhava em um parque de Manhattan.

Segundo a imprensa americana, antes de ser detido, o menor teria confessado o crime contra Tessa Majors, de 18 anos, que caminhava pelo parque Morningside, que fica próximo a Barnard College, onde ela estudava. A instituição é ligada à Universidade de Columbia.

O adolescente foi preso na entrada de um prédio perto do parque e usava roupas que coincidiam com a descrição do suposto autor do crime. Ele foi detido por invadir uma propriedade privada. Ao revistá-lo, agentes da polícia de Nova York encontraram uma faca.

O suspeito de ter matado Tessa será julgado como delinquente infantil e foi acusado de homicídio, roubo e posse criminosa de armas, segundo o jornal New York Times.

A publicação afirma que as autoridades de Nova York acreditam que o menor era parte do grupo que atacou a estudante no parque. Outras duas pessoas também teriam participado do crime. Segundo a emissora ABC, um dos dois suspeitos ainda não localizados seria um adolescente de 14 anos.

Crime comove cidade

O crime comoveu a cidade e fez o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, reforçar a segurança na região. "É incrível que isso tenha ocorrido ao lado de um dos nossos grandes câmpus universitários. É uma realidade inaceitável", afirmou o prefeito, que chegou a ser pré-candidato à presidência dos Estados Unidos.

O chefe dos detetives da polícia de Nova York, Rodney Harrison, afirmou que Tessa caminhava pelo parque quando um grupo a cercou. Houve luta corporal e um dos suspeitos a esfaqueou várias vezes.

A estudante se arrastou até uma rua próxima e foi encontrada por um segurança da universidade, que acionou uma ambulância. Tessa, porém, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. / EFE

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Nova York [Estados Unidos]homicídio

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.