Adolescente de 14 anos provocou incêndio que matou 41 em Israel

Jovem diz a polícia que fumava cachimbo e não avisou as autoridades após fogo se espalhar

Efe,

06 de dezembro de 2010 | 18h25

Centenas de pessoas tiveram de sair da área próxima ao incêndio.

TEL AVIV  - Um adolescente de 14 anos admitiu ter sido o responsável pelo maior incêndio da história de Israel, que durou quatro dias e matou 41 pessoas, segundo comunicado da Polícia israelense divulgado nesta segunda-feira, 6. O adolescente que mora na região e cuja identidade não foi revelada reconheceu que acendeu a brasa que incendiou o parque nacional de Monte Carmel, onde se originou o acidente.

O estudante contou que estava fumando um cachimbo no local e, que apesar de perceber que as chamas se espalhavam, correu em direção ao colégio sem avisar ninguém da gravidade da situação.Após o testemunho do adolescente, as autoridades israelenses libertaram dois jovens que permaneciam detidos após suspeitas de terem sido os autores da catástrofe.

O incêndio se iniciou na última quinta-feira e ainda na manhã desta segunda-feira, o Corpo de Bombeiros e as unidades militares trabalhavam para conter os focos das chamas. Além de causar 41 mortes, o fogo obrigou mais de 17 mil pessoas a abandonarem suas casas.  O fogo atingiu 5 mil hectares da área do parque, com 5 milhões de árvores, de acordo com dados do Fundo Nacional Judeu.

Durante o incêndio, diversos países enviaram ajuda aérea e equipes técnicas para participar dos trabalhos de contenção do fogo. Logo após,o Governo israelense reconheceu que não teria sido capaz de controlar a catástrofe sozinho.

Tudo o que sabemos sobre:
israelincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.