Advogada brasileira é presa por gerenciar bordel na Irlanda do Norte

Natacha Pociana e uma portuguesa admitiram ao serem presas que atuavam como prostitutas e cuidavam de prostíbulo.

BBC Brasil, BBC

14 de abril de 2012 | 11h09

Duas mulheres, uma delas uma advogada brasileira, foram presas e condenadas a uma sentença de dois meses após terem admitido que gerenciaram um bordel em Belfast, na Irlanda do Norte.

A brasileira Natacha Pociana, de 32 anos, e a portuguesa Sofia Matas, de 35, foram detidas na quinta-feira em um apartamento de Belfast.

Elas admitiram ao serem interrogadas pela polícia que estavam trabalhando como prostitutas e que gerenciavam o prostíbulo que funcionava em um apartamento em Belfast, juntamente com Robert James Weir, um homem de 53 anos.

As duas mulheres teriam caído aos prantos na Corte dos Magistrados de Belfast neste sábado, quando o juiz leu suas sentenças.

Um advogado da promotoria disse que durante buscas no apartamento foram encontrados ''uma grande quantidade de adereços sexuais''.

Robert James Weir, que também está preso, tinha uma acusação prévia envolvendo prostituição datada de 2007 e a polícia acredita que ele era o principal responsável pelo prostíbulo e que as duas mulheres trabalhavam para ele. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.