Advogado aceita defesa de acusados de estupro e causa tumulto em Nova Délhi

A corte que julgará os acusados de terem estuprado e matado uma jovem de 23 anos num ônibus de Nova Délhi foi ontem palco de tumulto depois que um advogado disse que defenderia os cinco réus. Colegas que acompanhavam a sessão tentaram agredir o advogado, dizendo que acusados de um crime de tamanha gravidade não têm direito a defesa particular. A ordem dos advogados da Índia afirmou que nenhum de seus integrantes defenderia os acusados, que seriam representados pela defensoria pública. Os cinco réus foram ontem formalmente indiciados e escutaram as acusações que lhes foram imputadas. O caso do estupro coletivo da jovem, que acabou morrendo, mobilizou a sociedade indiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.