Advogado agride ex-presidente do Paquistão em tribunal

Um advogado irritado jogou um sapato contra o ex-presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, quando ele se dirigia para um tribunal, onde responde por acusações criminais. Ele voltou ao país no último domingo, após um período de quatro anos em autoexílio.

AE - AP, Agência Estado

29 de março de 2013 | 12h53

Musharraf, que chegou ao poder por meio de um golpe militar em 1999 e foi forçado a sair quase uma década depois, é odiado por muitos advogados do país por causa de sua decisão de suspender o juiz chefe da Suprema Corte, quando estava na presidência.

O advogado jogou o sapato contra Musharraf, um sinal de profundo desprezo no mundo islâmico, quando o ex-presidente caminhava por um corredor do prédio do tribunal da cidade de Karachi, cercado por seguranças, partidários e jornalistas, informou o policial Nasir Aftab.

O sapato não atingiu Musharraf e o advogado não foi detido, porque nenhuma acusação foi aberta contra ele, afirmou o policial.

Após o incidente, os juízes concederam a Musharraf a extensão da fiança preventiva em três casos contra ele, o que significa que ele não pode ser imediatamente detido. Os casos envolvem o assassinato, em 2007, da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto e a morte de Akbar Bugti, líder nacionalista do Baluquistão, em 2006, que morreu após um impasse com o Exército paquistanês. Musharraf recebeu extensão de 21 dias nos dois casos.

O ex-presidente voltou ao país no último domingo, buscando um retorno à vida política, apesar das acusações legais contra ele e das ameaças de morte feitas por militantes do Taleban. Mas ele foi recebido apenas por uma multidão de jornalistas quando seu voo, proveniente de Dubai, chegou a Karachi. Analistas disseram não esperar que seu partido consiga muito apoio nas eleições parlamentares, marcadas para 11 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.