REUTERS/Eduardo Munoz
REUTERS/Eduardo Munoz

Advogado de atriz pornô solicita depoimento de Trump sobre suposto relacionamento

Michael Avenatti diz que não precisará de mais do que duas horas para fazer questionamentos ao presidente americano e a seu defensor, Michael Cohen, sobre tentativa de silenciar Stormy Daniels; audiência com juiz federal foi marcada para 30 de abril

O Estado de S.Paulo

28 Março 2018 | 11h39

WASHINGTON - O advogado da atriz pornô Stormy Daniels solicitou a um tribunal federal dos Estados Unidos o depoimento do presidente Donald Trump como parte de uma batalha legal em torno de um acordo para silenciá-la a respeito de um relacionamento íntimo que afirma ter tido com o republicano, revelaram documentos judiciais vistos nesta quarta-feira, 28.

Donald Trump conhecia acordo para calar atriz, diz advogado

O advogado Michael Avenatti também pediu o depoimento do advogado de Trump, Michael Cohen, que Stormy está processando por difamação, como mostrou uma petição apresentada a uma corte do Distrito Central da Califórnia.

Uma audiência com o juiz S. James Otero no Distrito Central, em Los Angeles, foi marcada para o dia 30 de abril. Avenatti disse no requerimento que não precisará de mais do que duas horas para fazer suas perguntas a cada um deles.

A atriz processou Trump no dia 6 de março alegando que ele jamais assinou um acordo concebido para que ela mantivesse silêncio sobre o que chamou de relacionamento “íntimo” dos dois. Trump nega ter tido um caso com Stormy.

Quatro enfoques da entrevista de Stormy Daniels sobre Trump

Na segunda-feira, uma ação civil emendada afirmou que Cohen difamou a atriz depois de sua entrevista ao programa “60 Minutes”, da rede CBS, que teve grande repercussão. Na entrevista, a atriz diz ter sido ameaçada por um homem a ficar em silêncio sobre o caso.

"Queremos respostas sob juramento do presidente e do Sr. Cohen sobre o que eles sabiam, quando ficaram sabendo e o que fizeram sobre isto", disse Avenatti.

Apesar de considerar que "todo caso sempre tem que esta aberto a acordos", Avenatti diz que "neste ponto, não vê como este caso poderia ser resolvido com um acordo".

Cohen disse ter pago US$ 130.000 do próprio bolso, apesar de garantir que Trump nunca teve relações sexuais com a atriz pornô. Em nova enviada à CBS, o advogado de Cohen, David Schwartz, disse que a solicitação é um "uso imprudente do sistema legal para continuar a inflar o ego de Michael Avenatti e mantê-lo relevante". / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.