Advogado de médico detido denuncia falhas em processo

O advogado de Mohammed Haneef, o médico indiano detido em Brisbane por sua suposta relação com os atentados fracassados no Reino Unido, denunciou nesta segunda-feira, 9, irregularidades no processo de seu cliente, que ainda não foi acusado de nenhum crime.Peter Russo, que defende Haneef, de 27 anos, disse à rádio ABC que não recebeu nenhuma informação sobre a situação legal de seu cliente, e acrescentou que suas únicas fontes sobre o assunto são as publicadas pelos meios de comunicação.Russo é a única pessoa que pôde se comunicar desde a segunda-feira passada com Haneef. Ele foi detido há uma semana no aeroporto de Brisbane e pretendia visitar sua esposa na Índia.Haneef, supostamente primo dos irmãos Sabeel e Kafeel Ahmed, dois dos principais suspeitos dos atentados fracassados, pode permanecer detido sem acusações até a tarde desta segunda-feira. No entanto, os investigadores terão outras doze horas para continuar o interrogatório, segundo as novas leis antiterroristas australianas.Segundo o jornal The Courier-Mail, as autoridades australianas estão investigando as contas bancárias de Haneef, e especialmente várias transferências entre a Austrália e o exterior.A Polícia australiana revistou no domingo a casa do médico. No mesmo dia foi revistada a casa de Mohammed Asif Ali, médico do hospital Gold Coast, onde também trabalhava Haneef.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.