Advogado de Saddam abandona tribunal em sinal de protesto

Khalil Duleimi, advogado da defesa do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein e seis de seus antigos colaboradores abandonou a sala onde acontece o julgamento dos sete acusados após uma discussão com o presidente do tribunal.Duleimi, que boicotava o processo junto ao restante dos advogados de Saddam desde setembro, se retirou depois que o juiz Muhamad Oreibi Khalifa rejeitou os pedidos apresentados no começo da audiência, a 19ª do processo. Entre os pedidos que Duleimi leu diante do Tribunal Supremo Iraquiano estava o de permitir a presença de advogados árabes e estrangeiros no processo, no qual Saddam e seus ex-colaboradores são acusados de genocídio contra o povo curdo iraquiano. A equipe de defesa pediu também a abertura de uma investigação sobre supostas irrupções ilegais durante sua ausência, nas quais, segundo Duleimi, foram manipulados numerosos documentos. Os advogados tinham boicotado o julgamento em protesto pela "intromissão do governo" após a destituição, no mês passado, do presidente anterior do tribunal, Abdullah al-Amiri, por ter afirmado que Saddam não era um ditador. O tribunal deve ouvir nesta segunda-feira vários testemunhos de curdos sobre a campanha de Al-Anfal, lançada entre 1987 e 1988 pelo Exércitoiraquiano contra as regiões curdas no norte do Iraque. Segundo números divulgados pelo Procurador-geral do tribunal, mais de 180 mil curdos foram assassinados ou desapareceram nessaofensiva que coincidiu com os últimos dois anos da guerra entre Iraque e o Irã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.