Advogado diz que Saddam pediu que o povo perdoe os EUA

O ex-ditador do Iraque, Saddam Hussein, condenado à morte por crimes contra a humanidade, pediu que o povo iraquiano rejeite a violência sectária que atinge o país e "não se vingue" dos invasores americanos, disse o principal advogado do líder derrubado, após o pronunciamento da sentença. "A mensagem do presidente Saddam a seu povo veio durante uma reunião em Bagdá nesta manhã, pouco antes da assim chamada corte iraquiana emitir seu veredicto neste julgamento", disse Khalil al-Dulaimi. "Sua mensagem foi: ´Perdoem e não se vinguem das nações invasoras e de seus povos´", declarou o advogado. "O presidente também pediu que seus compatriotas ´unam-se face à luta sectária´". Segundo al-Dulaimi, Saddam "sabia que seria condenado à morte e queria que eu passasse adiante sua mensagem ao povo iraquiano e ao mundo". Ainda de acordo com o advogado, o ex-ditador afirmou que os verdadeiros derrotados serão "os homens da Pérsia e dos Estados Unidos". Pérsia é o antigo nome do Irã, cujas lideranças religiosas exercem influência sobre a comunidade xiita iraquiana. Al-Dulaimi considerou o julgamento uma "farsa", e afirmou que haverá apelação.

Agencia Estado,

05 Novembro 2006 | 09h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.