Advogados de Saddam criticam processo e denunciam ameaças

Os advogados que alegam trabalhar para o ex-ditador do Iraque, Saddam Hussein, protestaram contra o indiciamento de seu cliente, ocorrido hoje em Bagdá, dizendo que deveriam ter acompanhado o cliente ao tribunal. Um dos advogados de Saddam, Tim Hughes, da firma britânica Bevan Ashford, disse que sua equipe ?respeita o direito de todos a uma defesa. ?É um direito humano fundamental?. Hughes denunciou que ele e seus colegas foram ?mantidos no escuro? quanto ao procedimento adotado no Iraque.Ele disse que os advogados estão prontos para ir ao Iraque, mas que ?queremos ter garantias totais? de segurança. Issam Ghazawi, outro advogado da equipe, alega ter recebido um telefonema do ministro da Justiça do Iraque, Malek Dohan al-Hassan, dizendo que os advogados forem a Bagdá ?serão mortos e cortados em pedaços?.O comparecimento de Saddam Hussein a um tribunal, para ser formalmente acusado, dominou as TVs do mundo árabe, onde tais imagens não têm precedentes na mídia, controlada pelos governos ou submetida a censura. ?Cidadãos árabes, vendo essas imagens de Saddam num tribunal, terão mais confiança de que o posto de governante ou presidente não confere imunidade eterna?, disse o escritor iemenita Faris Ghanim. Para ele, o julgamento de Saddam mostra que ?líderes árabes não estão acima da lei?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.