Eraldo Peres/Arquivo/AP
Eraldo Peres/Arquivo/AP

Advogados do parceiro de Greenwald contestam detenção em aeroporto

David Miranda foi interrogado por quase nove horas em Londres por supostos crimes terroristas

Agência Estado

06 de novembro de 2013 | 11h36

LONDRES - Advogados de David Miranda, parceiro do jornalista americano Glenn Greenwald, contestaram na corte suprema britânica nesta quarta-feira, 6, a legalidade de sua recente detenção no aeroporto de Heathrow, em Londres. O argumento é que o uso pela polícia de poderes de combate ao terrorismo violou os direitos fundamentais de seu cliente.

Greenwald escreveu este ano uma série de reportagens no jornal britânico The Guardian sobre atos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês), com base em informações vazadas pelo ex-prestador de serviços Edward Snowden.

Em agosto, Miranda foi detido no Heathrow e interrogado por quase nove horas por supostos crimes terroristas. Na ocasião, Miranda viajava para o Brasil após visitar a Alemanha, onde havia se encontrado com Laura Poitras, uma cinegrafista americana que trabalhou com Greenwald nas matéria sobre a NSA./ AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.