Advogados são chamados a recolher pertences de Saddam

Os advogados de Saddam Hussein foram convocados para recolher os objetos pessoais do ex-ditador, mas o Ministério da Justiça do Iraque negou que o ex-presidente esteja sob sua custódia e a possibilidade de enforcamento no sábado, informou hoje Khalil al-Dulaimi, chefe da equipe legal do ditador.Dulaimi assegurou que as forças americanas fizeram este pedido por telefone às 11h10 (5h10 de Brasília).Segundo outro membro da equipe da defesa, Issam al-Gasawi, Saddam permanece sob custódia americana em uma prisão iraquiana, à espera que as autoridades decidam executá-lo.Um tribunal iraquiano lhe impôs a pena capital em novembro e o condenou à forca por ordenar a morte de 148 xiitas.Já Dulaimi disse: "Recebi a ligação do responsável pela custódia do presidente Saddam Hussein, que me falou da necessidade de designar uma pessoa para recolher os objetos e objetos pessoais de Saddam Hussein."Além disso, afirmou que esta pessoa devia pegar os pertences de Barzan al-Tikriti - meio-irmão do ex-ditador - e do ex-juiz Awad al-Bandar.O Tribunal Penal iraquiano ratificou no dia 26 a sentença de morte contra Saddam Hussein e seus dois ex-colaboradores, que segundo as leis iraquianas terão que ser executados até 30 dias após a confirmação da sentença, que não poderá ser apelada.Porém, uma alta autoridade do Ministério da Justiça disse à Reuters que Saddam não será executado antes de 26 de janeiro, 30 dias depois de sua apelação ter sido rejeitada.Matéria ampliada às 08h58

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.