Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Aécio envia carta a Salles e França e reclama de falta de compromisso ambiental

Tucano faz críticas ao conteúdo da carta de Bolsonaro a Biden no dia 15; metas ambientais vão ser repetidas pelo presidente brasileiro durante cúpula do clima convocada pelo presidente americano

Lauriberto Pompeu, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2021 | 20h10

BRASÍLIA - O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDN) da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), enviou nesta quarta-feira, 21, uma carta endereçada aos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e das Relações Exteriores, Carlos França. No documento, o tucano reclama da falta do compromisso do governo com o meio ambiente, especialmente nas metas de redução de desmatamento e diminuição de emissão de gases que aprofundam o efeito estufa.

A carta de Aécio foi enviada na véspera do início da cúpula do clima, evento internacional sobre meio ambiente organizado pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que terá a participação do presidente Jair Bolsonaro entre os 40 líderes convidados, entre eles a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, Emmanuel Macron

O tucano fez críticas ao conteúdo da carta de Bolsonaro a Biden no dia 15. As metas ambientais vão ser repetidas pelo presidente brasileiro durante o evento. "Manifesto a preocupação de membros da CREDN com a diminuição da ambição da meta do Brasil de redução de emissões, apresentada na versão revisada da NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) brasileira e reiterada na carta do presidente Bolsonaro enviada ao presidente Joe Biden na semana passada. A falta de atualização dos compromissos de redução em números absolutos, além de prejudicial para a preservação do meio ambiente e das condições de cultivo no Brasil, não encontra eco na tradição da diplomacia ambiental", declarou o ex-governador de Minas.

O deputado também escreveu que os compromissos ambientais em nível internacional são importantes para que o Brasil participe de iniciativas importantes de cooperação entre os países, como a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

"A ausência de medidas concretas para a contenção do desmatamento ilegal tampouco contribui para reverter a imagem de falta de engajamento do Brasil nas negociações do clima. Para nós, que já temos uma matriz energética limpa, o desmatamento é o nosso principal vetor de emissão de CO-2. Infelizmente, as taxas de desmatamento voltaram a crescer", afirmou o mineiro.

O presidente Bolsonaro aproveitou o feriado desta quarta-feira para participar de um almoço na casa do Ministro das Comunicações, Fábio Faria. Após o comes e bebes, o anfitrião postou nas redes sociais uma foto reunindo boa parte do primeiro escalão do governo, todos sem máscara, com a hashtag #FicaSalles.  

A publicação é uma defesa do governo ao ministro Ricardo Salles, também presente no almoço. Ele é hoje alvo de um tuitaço ao qual deu visibilidade na noite de terça-feira, 20, quando compartilhou, em tom irônico, a convocação da manifestação virtual por sua saída do cargo, e decidiu rebater.  

Para Entender

O que é o encontro convocado por Joe Biden

Reunião de líderes mundiais quer estabelecer novos compromissos para a redução das emissões de carbono e nasceu do interesse americano de se recolocar como protagonista no cenário internacional após os anos Trump

Após a artista fazer uma publicação com a hashtag #ForaSalles, chamando o ministro de "desserviço" ao meio ambiente, Salles respondeu. "Fica na sua ai, ô Teletubbie!", escreveu em comentário seguido pela hashtag #FicaSalles, usada por apoiadores do governo em reação ao tuitaço. O movimento acontece ainda um dia antes da Cúpula dos Líderes sobre o Clima, onde o Brasil tem sido alvo de críticas.  

Além de Anitta, o movimento teve adesões no Twitter de políticos da oposição e celebridades, entre nomes como a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, o compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e a ativista defensora dos animais Luisa Mell.   

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.