AP Photo/Eraldo Peres
AP Photo/Eraldo Peres

Aécio pedirá a Temer para discutir crise na Venezuela com Capriles

Segundo senador tucano, Brasil precisa se posicionar na reunião da OEA que discutirá aplicação da cláusula democrática no país 

Lu Aiko Otta , BRASÍLIA

14 Junho 2016 | 15h28

BRASÍLIA - O senador Aecio Neves (PSDB-MG) disse nesta terça-feira, 14, que ele e um grupo de senadores pedirão uma audiência com o presidente em exercício,  Michel Temer, ainda hoje, para defender um posicionamento claro do Brasil contra o presidente venezuelano, Nicolas Maduro, na reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA),  na próxima semana,  quando a assembleia da entidade discutirá sanções ao governo chavista. 

"O que queremos para a Venezuela é o mesmo que queremos para o Brasil: respeito  à Constituição", disse ele,  após receber o governador de Miranda, Henrique Capriles, um dos líderes da coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática. "Se o impeachment é uma previsão constitucional no Brasil, o referendo é uma previsão constitucional na Venezuela."

Capriles alertou que há risco de o processo de referendo revogatório, que pode tirar Maduro do poder, ser suspenso "nas próximas horas". Ele disse que o Brasil,  por seu peso na região,  tem condições de influenciar na discussão na OEA e também no Mercosul, onde igualmente se discute a aplicação da cláusula democrática contra a Venezuela. Capriles vai reunir se esta tarde com o ministro das Relações Exteriores,  José Serra.

A oposição venezuelana pede que o referendo seja feito ainda este ano, para que, conforme a Constituição, haja novas eleições. Se a votação ocorrer a partir de 2017, ainda de acordo com a Carta venezuelana, Maduro seria substituído pelo vice-presidente, também chavista. A MUD acusa o chavismo de retardar o processo de propósito para evitar uma eleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.