Aéreas devem intensificar checagem de turbinas

Especialistas advertem que as empresas aéreas que retomam os voos sobre grande parte da Europa hoje devem realizar grandes inspeções nas turbinas das aeronaves se houver qualquer suspeita de que um avião atravessou uma nuvem de cinzas.

AE-AP, Agência Estado

20 de abril de 2010 | 17h46

Nenhum avião passou por uma área contendo cinzas, já que elas estão vedadas para o tráfego aéreo, segundo a Eurocontrol, a agência de tráfego aéreo do continente. De acordo com o organismo, a maior parte das cinzas se dissipou nos últimos dois dias e agora há uma concentração significativa apenas sobre o Oceano Atlântico e o Mar Báltico.

As companhias aéreas e especialistas dizem que querem realizar testes aleatórios nas turbinas como precaução de segurança no caso de as aeronaves encontrarem contínuos traços de partículas em zonas geralmente consideradas livre de contaminantes.

"Se no curso normal dos fatos a tripulação de um avião suspeitar que eles voaram em meio ou perto de uma nuvem de cinzas, isso deve ser relatado e uma inspeção de turbinas precisa ser realizada em solo", recomendou Martin Chalk, presidente da European Cockpit Association, que representa 38.200 pilotos de 36 países europeus.

Cinzas vulcânicas podem causar sérios danos por causa da forma como o calor das turbinas interagem com as partículas. Testes de voos realizados em cerca de 36 aviões na França, Holanda, Alemanha e Reino Unido não apresentavam problemas relacionados às cinzas, disse David Henderson, porta-voz da Associação de Companhias Aéreas Europeias.

Mais de 95 mil voos dentro e cruzando a Europa tiveram de ser cancelados desde a última quarta-feira em razão das cinzas expelidas por um vulcão no sul da Islândia. A nuvem de cinzas rapidamente atingiu a atmosfera e se espalhou para o leste sobre a maioria dos países do norte e centro da Europa.

Ontem, a União Europeia anunciou que as restrições aos voos causadas pela nuvem de cinzas podem ser aliviadas depois que as concentrações de partículas diminuíram. Todos os voos comerciais ainda estão proibidos em áreas com alta contaminação pelas cinzas, mas voos regulares podem ser retomados na áreas livres de partículas e numa zona intermediária de proteção, onde as massas de ar serão cuidadosamente monitoradas.

Tudo o que sabemos sobre:
vulcãoIslândiaaviõesrecomendação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.