Aerolineas Argentinas pedirão concordata

O ministro de Infra-estrutura da Argentina, Carlos Bastos, afirmou que a Aerolineas Argentinas vai pedir concordata, em preparação para a venda da participação majoritária na empresa pelo governo da Espanha. Falando em Buenos Aires depois de voltar de uma viagem a Madri, Bastos disse que os governos argentino e espanhol concordaram que a Aerolineas não deve ser liquidada, nem declarar falência. "Nós concordamos que a melhor alternativa para a Aerolineas é a expansão, e não a redução", declarou o ministro. Ele ressalvou que a Espanha, que é o acionista controlador da empresa, por intermédio da estatal Sepi, não quer injetar mais recursos na companhia. A Espanha privatizou sua própria companhia aérea, a Iberia, e não tem interesse em operar uma empresa do setor. Bastos acrescentou que o governo argentino também não vai colocar mais dinheiro na Aerolineas. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.