Aeronaves da Otan bombardeiam Trípoli e Sirte

Aliança afirma que foram detectadas instalações militares na capital líbia; dois lados se preparam para batalha final em Sirte.

BBC Brasil, BBC

27 de agosto de 2011 | 07h33

Aeronaves da Otan fizeram ataques aéreos durante a noite de sexta e madrugada deste sábado em Trípoli e em Sirte, no sul da Líbia.

Sirte, cidade natal de Muamar Khadafi, é vista como o último grande foco de resistência do antigo regime do país.

As forças de Khadafi ainda estão ativas na cidade e o paradeiro do líder líbio ainda é desconhecido.

Um porta-voz da Otan afirmou que instalações militares, veículos e uma plataforma de lançamento de mísseis ainda foram detectados em Trípoli, apesar de as forças leais a Khadafi agora estarem concentradas no sul do país.

O avanço das forças rebeldes para Sirte foi paralisado perto do porto petrolífero de Ras Lanuf, apesar da chegada de mais reforços.

Segundo correspondentes da BBC em Ras Lanuf os dois lados estão se preparando para o que pode ser uma grande batalha final.

Ajuda

As condições em Trípoli estão se deteriorando e maior parte da capital líbia está sem água, eletricidade e saneamento básico.

De acordo com jornalistas, os hospitais já não tem mais suprimentos e está cada vez mais difícil encontrar alimentos e combustíveis.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu o envio urgente de ajuda humanitária para o país e também para a comunidade internacional ajudar a restaurar a ordem na Líbia.

Ban Ki-moon afirmou que milhões de pessoas dentro e fora de Trípoli estão ameaçadas devido à falta de água.

O correspondente da BBC em Trípoli Daniel Sandford afirmou que o fornecimento de água para a capital parou lentamente. Algumas lojas estão abertas, mas não foram reabastecidas.

A Grã-Bretanha informou neste sábado que está enviando remédios e alimentos para a Líbia.

O governo britânico vai fornecer equipes médicas para tratar os cinco mil feridos e alimentos para quase 700 mil pessoas.

Os hospitais de Trípoli estão em situação caótica. Profissionais do setor de saúde deixaram a cidade e corpos em decomposição se acumulam nos centros médicos.

O repórter da BBC Wyre Davies diz ter visto cerca de 200 corpos amontoados apenas no hospital de Abu Salim, dentro e fora do edifício.

A maioria dos mortos são jovens que aparentemente estavam na frente de guerra. Há também corpos de mulheres e crianças.

Os rebeldes afirmam que controlam a maior parte de Trípoli com apenas alguns áreas de resistência das forças leais a Khadafi. Ocorreram confrontos principalmente em volta do aeroporto internacional, mas o centro da cidade está mais calmo.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.